Mexicano vence corrida com pista encharcada e seis abandonos, e sobe ao pódio pela primeira vez em Marina Bay; Verstappen cruza em sétimo e leva decisão para o GP do Japão

O GP de Singapura teve pista molhada pela chuva, seis abandonos, um pouco de caos... Só não teve o bicampeonato de Max Verstappen. Sergio Pérez assumiu a ponta na largada, administrou a vantagem sobre Charles Leclerc e venceu de forma tranquila em Marina Bay. O triunfo do mexicano adia a decisão do título da F1 ao menos para o GP do Japão, no próximo domingo.

O resultado da corrida esteve sob risco de mudanças. A direção de prova anunciou que investigaria uma possível violação de Sergio Pérez às regras do safety car, mas só após a bandeirada. O mexicano se antecipou e aumentou a distância para Leclerc, cruzando com mais de 7s sobre o rival. Punido com cinco segundos e dois pontos na carteira por não respeitar a distância mínima de dez carros, o piloto da RBR mantém a vitória.

Charles Leclerc e Carlos Sainz fecharam o pódio da corrida, que foi terminada sob cronômetro em vez do número de voltas pela proximidade com o limite de duas horas. Vale destacar o desempenho das duas McLaren no top 5: Norris foi o "melhor do resto", em quarto, seguido por Daniel Ricciardo.

Para ser campeão em Suzuka, Verstappen precisa deixar o Japão com ao menos 112 pontos de vantagem sobre Leclerc. Com o sétimo lugar neste domingo, o holandês viu a distância para o monegasco cair de 116 para 104 pontos. Há 138 pontos restantes em disputa nas últimas cinco etapas da Fórmula 1 em 2022.

No classificatório de sábado, Verstappen ficou apenas com a oitava posição após um erro de cálculo de combustível da RBR, que interrompeu sua última tentativa de volta rápida. Neste domingo, Max errou na largada e caiu para 12º; em uma das relargadas, passou reto ao tentar a manobra sobre Norris.

Já Lewis Hamilton encostou na barreira macia quando ocupava a quarta colocação. O heptacampeão foi aos boxes e, após trocar a asa dianteira, se desculpou com a Mercedes por "estragar tudo". Quando estava em oitavo, o britânico ainda escorregou e foi ultrapassado por Verstappen, terminando em nono. Seu companheiro, Russell, terminou em 14º após largar do pitlane com mudanças nos componentes do motor.

Em mais um dia de forte chuva na cidade-estado, a direção de prova adiou a largada, inicialmente marcada para as 9h deste domingo. Mesmo rodando em velocidade baixa, o safety car levantava muita água do asfalto. A prova só começou de fato às 10h05, sem chuva, mas ainda com a pista molhada - e com todos os pilotos calçando pneus intermediários.

Seis pilotos abandonaram a prova, mas o mais frustrado certamente foi Fernando Alonso. Neste domingo, o bicampeão chegou a 350 provas na F1, se igualando a Kimi Raikkonen como recordista de GPs. O espanhol recolheu sua Alpine com problemas no motor.

Conquistando sua quarta vitória na carreira, Pérez subiu ao pódio pela primeira vez em Singapura. Até então, o melhor resultado do mexicano em Marina Bay havia sido um quinto lugar em 2018, ainda pela Racing Point (atual Aston Martin).


Fala, Pérez!

- Esta foi minha melhor performance (na F1). As últimas três voltas foram tão intensas. Dei tudo pela vitória - celebrou o mexicano da RBR.

A largada

Pérez fez boa largada, mergulhou e tomou a ponta do pole Charles Leclerc. Na briga pela terceira posição, Sainz e Hamilton se tocaram e o britânico escapou da pista - mas a direção de prova confirmou que nenhuma punição era necessária.

Largando em oitavo, Verstappen destracionou e despencou para 12º. Ultrapassado por Kevin Magnussen, Yuki Tsunoda e Lance Stroll, o atual campeão ainda teve que se defender de Ricciardo.

Pérez aproveitou a dianteira e logo foi abrindo vantagem sobre Leclerc. A volta mais rápida - ainda que não tão rápida assim - era do mexicano: 2ms00s875. Hamilton, por sua vez, se queixava da baixa aderência no rádio com a Mercedes. O heptacampeão tinha apenas um jogo de pneus intermediários novos disponível para a largada.

Safety car em Singapura? Acho que já vimos esse filme antes - para ser exato, em todas as 13 corridas disputadas em Marina Bay! Nicholas Latifi espremeu Guanyu Zhou e os dois pilotos colidiram. O canadense forçou o chinês da Alfa Romeo para o muro e, na volta 8, a direção de prova acionou o safety car. Fim de prova para os dois e, lá na frente, melhor para Leclerc, que se aproximaria de Pérez.

Liderando o pelotão, Pérez segurou as investidas de Leclerc e se manteve no topo. Verstappen, por sua vez, aproveitou o reinício para ultrapassar Sebastian Vettel e Pierre Gasly, subindo à sétima posição. Começou, então, a perseguição do holandês a Fernando Alonso.

O ritmo de corrida se assentou e, com 20 voltas completas, as equipes começavam a discutir o uso dos pneus slick. Sem conseguir achar uma traçado seco, Alonso seguia segurando Verstappen na traseira - mas o espanhol sofreu uma quebra de motor. Fim de prova para o bicampeão, que abandonou justo a sua corrida de número 350, que o estabelece como recordista de GPs disputados na F1 ao lado de Kimi Raikkonen.

Com o safety car virtual acionado, a Mercedes arriscou e chamou Russell aos boxes para calçar compostos slick. O piloto foi a "cobaia" do restante do grid, voltando para a pista com pneus médios. Verstappen, ao saber da mudança, chamou o rival de "corajoso".

A investida não deu certo: com pouquíssima aderência, o britânico escorregou logo na saída do pitlane, mas conseguiu segurar o carro. A partir dali, Russell foi perdendo mais e mais tempo na lanterna.

Albon acertou a barreira macia na curva 8 e até conseguiu voltar para a pista, mas sem a asa dianteira. A direção chamou outro (sim, mais um!) safety car virtual. O piloto foi aos boxes e a Williams avaliou que os danos eram severos demais para seguir na briga. Fim de prova precoce para o tailandês, de volta às pistas após sofrer com uma apendicite e complicações pós-cirúrgicas.

A direção de prova liberou a corrida após o abandono de Albon... mas a agitação também não durou. Duas voltas depois da colisão do tailandês, foi a vez de Esteban Ocon apresentar problemas no motor da Alpine. Com fumaça saindo do carro, o francês se juntou ao companheiro Alonso, que já tinha recolhido o carro em Marina Bay. E adivinha só? Mais um safety car virtual em Singapura.

Com a bandeira verde tremulando, Hamilton estava a menos de 1s de Sainz, de olho na terceira colocação. Mas aí... O heptacampeão acertou de frente a barreira macia dos pneus. O britânico retornou ao traçado e, pelo rádio, se desculpou com a Mercedes antes de trocar sua asa dianteira. O prejuízo poderia ser pior: Hamilton perdeu uma posição para Norris e passou a ser perseguido por Verstappen.

Não, não erramos as contas: na volta 36, tivemos mais uma bandeira amarela em Singapura. Yuki Tsunoda passou reto na curva 10, acertou a barreira e a direção de prova instaurou o safety car. Russell aproveitou a janela para fazer mais uma troca de pneus, substituindo os médios usados por compostos novos de faixa amarela.

Já perto do limite de duas horas de prova, a F1 deixou de contar o número de voltas. Restavam 35 minutos no cronômetro quando o safety car entrou nos boxes. Na relargada, Verstappen pressionou Norris, mas passou reto! O piloto da RBR sofreu com a parte molhada da pista e despencou de novo, caindo da quinta para a oitava colocação.



Já perto do limite de duas horas de prova, a F1 deixou de contar o número de voltas. Restavam 35 minutos no cronômetro quando o safety car entrou nos boxes. Na relargada, Verstappen pressionou Norris, mas passou reto! O piloto da RBR sofreu com a parte molhada da pista e despencou de novo, caindo da quinta para a oitava colocação.

Após passar trocar seus pneus médios pelos macios, o holandês voltou em 14º. Pérez, por sua vez, foi notificado por infringir regra do safety car.

Leclerc se aproximou de Pérez e, a menos de 0s5 de distância, começou a colocar pressão no mexicano, sem sucesso. Preso atrás de Magnussen, Verstappen chegou a fazer a volta mais rápida de macios.

A direção de prova então anunciou que investigaria uma possível infração de Pérez às regras de safety car. Pelo rádio, a RBR pediu que o mexicano acelerasse para aumentar a distância sobre Leclerc - evitando uma possível perda da vitória em caso de penalização de 5s.

Hamilton passou reto enquanto tentava manobra sobre Vettel e foi ultrapassado por Verstappen. O heptacampeão caiu à nona posição. Max ainda conseguiu uma ultrapassagem sobre Vettel para terminar em sétimo. Lá na frente, Pérez aumentou a folga para Leclerc e cruzou a linha de chegada com 7s5 de vantagem.


Fonte: ge.com